04/09/2009

OS SEGREDOS DO TOM, DO MATIZ E DO DEGRADÊ

Por: Bete Branco
Enviado por: Mundo Cor

O que é tom, o que é matiz, o que é degradê?
Vamos entender isso! Em princípio tom é qualquer variação de cor, do jeito de falar, do som, de um aroma etc.
No mundo das cores, consideramos duas variações básicas de tom: variação cromática e variação luminosa.



Variação cromática (horizontal)

É aquela onde a interferência de outro “croma”, ou cor, gera os diferentes matizes. Cada cor na realidade representa um conjunto cromático formado por matizes. Ex: matizes de azul ou tons de azul, matizes de amarelo cítrico ou conjunto de amarelos cítricos, ou tons de amarelo cítrico.

Variação luminosa (vertical)

É aquela onde o acréscimo de “luz” (pigmento branco) ou o acréscimo de “sombra” (pigmento preto) vão gerar os tons de um degradê. O degradê é uma escala luminosa de um mesmo matiz, ou seja, nenhum de seus tons pode sofrer interferência de outra cor, a não ser do preto ou do branco.


Mas... qual é a importância dessas variações, ou tons, na escolha ou utilização de uma cor?
A grande importância que essas variações passam a ter é a de mudarem o valor das estimulações que emitem sobre o ser humano.
Cada matiz fala de uma personalidade diferente ou de uma forma especial de nos passar a influência psicodinâmica de uma cor.

Tomando como exemplo o laranja da ilustração acima, podemos ver que na linha horizontal da variação cromática, nós temos laranjas mais avermelhados à esquerda, que representariam a afetuosidade e popularidade do laranja, porém, mais enriquecidos em “necessidade de atenção”, em “paixão”, ou em outras características oriundas da influência do vermelho. Já à direita, esses “laranjas” recebem influência das características do amarelo, sem deixar de ser popular e jubiloso como um laranja!

Na variação luminosa ou degradê, representado na linha vertical, cada tom representa uma idade ou variação de humor do mesmo matiz. Observando a escala de laranja da ilustração, veremos que os tons de cima, que acabam em um “pêssego” são mais leves e representam as afeições mais puras e delicadas, como a relação mãe-bebê ou o sorriso singelo, por exemplo, enquanto o tom de terracota, na base, representa as afeições mais protetoras como a relação da matriarca com sua família, ou o sorriso contido, complacente.

E, quanto ao nome de cada tom - pêssego, laranja, cenoura, terracota, abóbora ou coral - fique à vontade na arte de se fazer entender ! Afinal, é para isso que existem os nomes, não?
Agora você está consciente da associação que pode e deve fazer entre as cores - personalidades - idades - estados de humor. Com isso você poderá ajustar melhor ainda as cores do ambiente às características e ou necessidades do usuário.
Afinal de contas, mais importante do que usar belas cores é usá-las bem!

Bete Branco é estilista, designer e consultora de cores no Rio de Janeiro.

Nenhum comentário:

Related Posts with Thumbnails